Páginas

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Recuerdos

Chique, né! Quero uma parede dessas na minha casa, com fotografias dos lugares por onde passei! Mas acho que vai ter mais cor! rsrs

Corrupcao: crime hediondo

Tudo de ruim acontece por causa dela! Se nao houvesse corrupcao haveria mais escolas, saúde para todos, seguranca e uma sociedade onde de fato, todos seriam iguais. Se houvesse mais educacao as pessoas saberiam a importancia de votar em quem realmente é interessado em trabalhar para o bem comum. Sim! Eu acredito que ainda existam pessoas que se candidatem a cargos políticos com a intencao de ajudar. Alguns acabam corrompidos pelo sistema. Outros que nao se corrompem nao conseguem se reeleger. Também acredito que através de campanhas.
Acho que nao é só comigo, mas eu nao estou conseguindo acessar meus blogs favoritos!!! Meu anti-vírus nao permite. Nao consigo postar comentários. Nao consigo fazer nada no Blogger! Ahhhhhhhhhhhhhhhhhh.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

"Chai" das cinco

A hospitalidade asiática é famosa no mundo todo. Mas a hospitalidade paquistaneza tem sua fama individual. Hoje conferi de perto o porque! Fomos convidados por um casal de vizinhos para o "chai" da tarde. Sim! O chá das cinco existe muito antes dos ingleses por aqui chegarem e nao foram eles que inventaram tal evento! rsrs
Entao, eu estava esperando simplesmente chá e algum bolo ou biscoito. Qual nao foi a minha surpresa quando, todos acomodados na sala de estar, entra o cozinheiro empurrando um carrinho de vidro, tres andares, redondo  e cheio de guloseimas. Um banquete aquele chá das cinco!! E um luxo né! 
Tinha bolo de café, massa folhada de vegetais e de frango, batatinha frita, salgadinhos apimentados, docinho de coco, refrigerante e claro, o tal do chá! 
Eu nao quero nem jantar hoje! rsrs E nao tirei foto porque nao levei a camera. Senao tinha passado essa vergonha!! 
Depois, em casa, só pra me certificar, perguntei pro Majeed se aquilo foi demais ou quando se tem convidados para o chai da tarde é sempre assim. Ele me disse que é sempre assim. O anfitriao oferece o que há de melhor na casa para os convidados. To falando de comida, é claro! rsrs Ai como eu to bandida hoje!!! rsrs

Paquistao: Cama e mesa

Há muito tempo nao deitava e olhava as estrelas. Acho que desde os meus 17 anos, quando eu e Estevania, minha melhor amiga da época, ficava até a madrugada conversando e filosofando. A gente nem falava dos gatinhos, imagina! A gente falava sobre vida e morte, paz e guerra, amor e ódio, vida e destino e Raul Seixas rsrs. Bons tempos aqueles quando olhávamos o céu de Cuiabá.
Depois nao lembro de nenhum outro momento. Morando em Londres entao, nem pensar. Impossível ver uma estrela sequer. Nem a Estrela Dalva, a mais brilhante dos céus!!! Mas desde que cheguei a Karachi, tenho observado as estrelas. Aqui, elas sao muitas. O céu é limpo, o clima a noite é agradável e sempre tem brisa. Mas o melhor de tudo: nessa casa tem terraco! Meu sonho de consumo sempre foi uma varanda enorme com balanco e um terraco com almofadas e uma cama de corda. Pois, voila! Sei que a casa nao é minha mas to aproveitando viu! rsrs
No Paquistao e acho que na India também, existem camas de madeira, bem largas, que ao invés de ter colchao, tem uma espécie de rede de fibra natural, trancada. Tipo uma tarimba. Já tinha visto em revistas de decoracao e sempre achei chique. Mas aqui as tais camas de corda sao tradicionais, além de super confortáveis e frescas, porque nem precisa por lencol se nao quiser. Nos quartos da casa tem cama normal, enoooormes, mas no terraco tem duas dessas, que sao chamadas de chaarpai, que significa "quatro pilares".
Essa já está velhinha coitada. Judiada porque fica no tempo, sol e chuva. Mas dá pra ter uma idéia né!

Moora - Nas cozinhas paquistanesas sempre tem esses banquinhos e acho que nas casas menos abastadas eles devem ser ainda mais presentes. A cozinheira senta neles pra descascar e cortar legumes. Na sala ele serve como
 apoio de pés. É chamado de "moora" (mura) e é feito daquelas plantas que crescem na beira do rio e tem pendao. Nao sei o nome em Portugues, mas sei que tem no Brasil.


Varre, vassourinha - Uma outra coisa interessante usada na casa é a vassoura. Eu lembro quando era pequena, no Paraná, que todo mundo usava vassoura de guachumba (nao sei se a grafia está correta) para varrer o quintal. Aqui eles usam uma fibra natural, mas ninguém soube me dizer em Ingles, entao eu nao sei como se chama em Portugues. Lógico que tem as vassouras que a gente conhece, mas essas sao populares e encontradas em qualquer mercado. Aqui na casa, eles preferem essas.



 Entao! Eu escrevi o texto todo e quando fui subir o vídeo, tudo travou. Vou deixar o texto aqui e prometo colocar o vídeo quando o Blogger permitir. Estamos tendo problemas desde a semana passada. Eu nao consigo entrar em vários blogs que visito sempre porque meu anti-virus nao deixa. Paciencia!!!

MESA - E na mesa sempre tem "Paratha". Um pao fininho feito com farinha de trigo integral (colhido nas fazendas da família, chique né?rsrs), água e sal. Aqui só se come com paratha. Em 12 dias, comi arroz duas vezes. rsrs É saudável por ser integral mas eles colocam muito óleo, mesmo sendo de Canola. O meu é sempre sem óleo. Aliás, minha comida é separada. Elas cozinham sem cebola grande (eu nao me importo com o sabor, mas se eu morder um pedacinho affff), sem coentro e sem pimenta pra mim. De resto como de tudo. :) Nem me acho chata!!!!
Fiz um vídeo de como é feita a paratha, mas nao de como a massa é feita. Na verdade é só misturar a água ao poucos na farinha até fazer uma massa mole mas que de para esticar. O vídeo explica melhor o processo. Sai até música!!!
No final do vídeo voces verao uma espécie de cesta onde ela coloca o pao. Aa mesa, cada um recebe seu pao numa cestinha dessas e come, geralmente carne em molho (chamado curry) ou vegetais, com a mao. Eu uso talheres porque nao consigo comer assim. Se bem que com esse pao, até que dá pra dar um jeitinho.






sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Paquistao: transito mucho loco!

Aqui no Paquistao nao tem um monte de regulamentos e normas de seguranca com os quais estamos acostumandos no Ocidente. Aqui anda de capacete o motociclista que quer e tem consciencia do perigo; a família inteira viaja numa moto (inclusive bebes); carroceria de caminhao carrega pelo menos tres vezes o número de pessoas que poderia, se tivesse capota. Os onibus urbanos sao pequenos, super coloridos e tem gente saindo pela tampa, ou melhor, eles viajam tanto dentro quanto em cima do onibus. Juntando tudo isso com a maneira louca de dirigir, sem respeitar faixas, sinais ou qualquer outra convencao internacional de transito, vira uma bagunca pra quem está acostumado a dirigir dentro da faixa, como manda a lei.
É realmente uma loucura ver tudo isso e saber que nao tem briga de transito! Também fiquei boquiaberta! Mas nao, eles nao brigam no transito. Mesmo quando um dá uma fechada no outro. Ninguém grita e fala palavrao. A comunicacao entre motoristas é feita pela buzina. Aliás, pra dirigir aqui é preciso apenas tres quesitos: ser bom na direcao (pra passar por entre os carros "tirando fino"), ter coragem e saber buzinar!
Prometo fotos para o próximo post, dos onibus feito sob encomenda, super hiper coloridos e cheios de fru-frus que circulam por todo o lado, abarrotados de gente ou nao! :)
Seguranca do Trabalho é outra coisa que nao se ve por aqui. Os andaimes usados na construcao civil sao ainda feitos de madeira e amarrados com cipó. Ainda no Brasil se usa andaime de madeira, mas sao pregados e usa-se tábua.
Pra mexer com fiacao elétrica também nao há equipamento de seguranca. Acho que se alguém da CIPA visse isso teria um infarto. rsrrs

Outdoor muito criativo

Achei muito legal esse anúncio de óleo vegetal. De dia é um outdoor normal, mas a noite tem as luzes que dao a impressao que o óleo está sendo despejado na frigideira. A propaganda é pra anunciar o novo e inovador "bico dosador" que evita o desperdício.
video

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A praia de Karachi

Hoje fomos novamente para Karachi, dessa vez para levar a mae do Majeed no neuro. Ela sofre de Mal de Parkinson e está sempre aas voltas com médicos, herbalistas, clínicas...
Minha segunda visita aa capital da Província de Sindh foi mais longa e mais proveitosa. Hoje fomos novamente aa praia mas só tirei fotos. Nao quis andar a cavalo. Fiquei com medo de cair. rsrsrs
Perto de onde estivemos, Clifton Area, tem uma espécie de refinaria que transforma a água do mar em água potável, que é entao distribuída a vários bairros próximos. Essa "refinaria" nao tem capacidade para abastecer toda a cidade, mas já alivia um bocado o consumo da água potável natural. A primeira vez que ouvi falar sobre isso foi num programa de TV sobre a Árabia Saudita. Lá eles usam esse sistema há muito tempo. Achei interessante. A foto ficou ruim, mas dá pra ter uma idéia do local.
Ao contrário de outros lugares a orla é praticamente deserta. Existem vários restaurantes sendo construídos, mas nao tem casas ou apartamentos de frente pro mar. Vi um só hotel bem grande e chique. Nada mais. O lugar está sendo terraplanado e no futuro serao construídas casas e prédios. Como disse no post de ontem, o mar é super agitado o que inviabiliza o uso da praia como deveria ser.
Alguns pescadores.

Nao entendi muito bem o sentido de fazer esse paredao e terminar com a praia. O mar é bem agitado nesse ponto, pode ser por causa disso! 

Esse homem estava pescando. Esse paredao de pedras foi construído para recuar o mar.


A avenida beira-mar é assim, deserta.

Hoje pude ver a praia de dia. Muito suja. A areia é escura, assim como a água do mar, mas a prai é suja de lixo. Sacolas de plástico e sabe-se lá o que mais. Mesmo assim é movimentada.
 Essa aí teve mais coragem do que eu!!!! he he he
 Muvuca é muvuca em qualquer lugar do mundo!
 Uma pena a praia ser suja!!!
 Paquistaneses nunca estao sozinhos. Voce nao ve só uma pessoa fazendo compras. A família vai junto! Isso acontece na minha família também! rsrs E tudo vira assunto de todos. Pra quem é acostumada sozinha e gosta disso, as vezes é cansativo.
 Cartao-postal! Mas ainda nao aprendi a lidar com a minha super mini-camera.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Pelas ruas de Karachi

Hoje fomos para a cidade. Karachi é enorme, super movimentada, muito viva e verde. O transito é muito louco, quase igual na India, mas todo mundo se entende. A diferenca maior que é aqui as vacas nao se misturam aas pessoas e aos carros no asfalto. rsrs
Fiquei impressionada com tantos prédios (super altos) residenciais sendo construídos no centro da cidade. A arquitetura se parece muito com a do Brasil. Casas amplas, de alvenaria, nada de coisas "fakes" como na Inglaterra. O acabamento e os pisos sao reais como no Brasil.
Impressiona também ver o tanto de carro, na hora do rush, se movimentando perfeitamente pelas avenidas super movimentadas da capital. Tudo porque foram construídos viadutos enormes, alguns com um quilometro de extensao, nas áreas mais críticas para desafogar o tráfico. O resultado nao poderia ser melhor: o transito flui. Fico pensando porque nao dá pra fazer isso em Sao Paulo, ou mesmo em Cuiabá, que todo mundo me diz, está ficando intrafegável.
Fomos aa praia também. O mar é super, hiper agitado. Tem placas avisando sobre o perigo, mas pelo menos uma pessoa morre por semana, porque nao deu atencao aos sinais de alerta. Mesmo assim, a orla toda é super movimentada. Voce pode escolher entre andar a cavalo, de camelo ou de quadbike na praia. As pessoas vao para molhar os pés na água salgada e sentir a maresia. Isso nao me atrai, mas andar a cavalo é minha atividade para a próxima visita.
Em todos as lojas, clínicas, hospitais, enfim,em qualquer lugar público tem seguranca armado com metralhadora. Em toda a cidade dá pra ver a presenca do Exército, mesmo assim eles nao conseguem evitar os ataques suicidas terroristas. Hoje andamos bastante pela cidade, mas nao vi nada destruído por esses tristes acontecimentos.
Nós moramos numa área enorme, uma cidade onde tem de tudo, de hospitais a escolas, de mini-mercados a grandes centros comerciais. Tudo fica numa área restrita das Forcas Armadas. Qualquer pessoa pode morar aqui, como proprietário ou como arrendatário, mas todos passam por inspecao severa na entrada do condomínio. Hoje, por exemplo, quando voltávamos de Karachi, os guardas revistaram o porta-malas do carro e olhou no rosto de um por um dos ocupantes. Daí fiz a pergunta que nao queria calar: e se tivéssemos explosivos? Como eles saberiam só de olhar o porta-malas? Claro que a resposta foi simples. Os equipamentos que detectam explosivos estao embaixo de uma espécie de quebra-molas, dois na verdade, que o carro passa pra entrar pelo segundo portao e só entao entrar na área.
Aparelhos assim sao usados em outros lugares, como no MacDonalds, por exemplo. Eles tem uma espécie de antena que detecta a presenca de explosivos. Mesmo assim, os loucos conseguem explodir a si mesmos e matar um monte de inocentes. Sei lá se sao eficazes mesmo esses equipamentos!!!!
Karachi - é a maior cidade, principal porto e o principal centro financeiro do Paquistao. É a capital da Província de Sindh e tem uma populacao estimada em 20 milhoes de pessoas, 25 milhoes incluindo a regiao metropolitana. É a cidade mais populosa do país e a décima maior cidade em termos de aglomeracao urbana do mundo. A cidade também detém o título de abrigar a maior populacao formada em ensino superior no Sul da Ásia.
Karachi foi capital do Paquistao até a construcao de Islamabad, na década de 1960. Depois da Independencia do Paquistao a populacao da cidade aumentou drasticamente com a vinda de centenas de milhares de imigrantes, cuja língua-mae é o Urdu, da India e de outras partes do Sul da Asia.
A cidade fica no sul do Paquistao e é banhada pelo Mar Árabico, que é parte do Oceano Índico. É conhecida como a Cidade das Luzes e A Noiva das Cidades, por ser uma cidade que nao pára nunca. Também é conhecida por Cidade do Quaid, porque aqui nasceu e faleceu Quaid-e-Azam, o fundador do Paquistao, depois da separacao com a India, sobre o domínio ingles, em 14 de agosto de 1947.

PS: Nao tirei uma foto que prestasse, entao nao tem foto pra ilustrar meu texto. Fica para a próxima.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

No Paquistao

Meu primeiro post sobre minha viagem aas longínquas terras paquistanesas e eu só posso dizer que estou vivendo numa novela das oito. Igualzinho!!! Nada podia ser melhor. A recepcao foi super calorosa e os cuidados para que eu me sinta em casa sao até demais.
Majeed tem cinco irmas e sete irmaos, mas só um mora em casa. As meninas sao umas gracas, uma só é casada , mas mora na outra quadra. Estamos num condomínio do Exército, entao aqui é super seguro. Hoje aconteceu um atentado suicida na cidade, muito triste, mas aqui estamos bem.
No Paquistao, a noiva/esposa tem todas as regalias. E eu to adorando né!!! Apesar de sermos casados há mais de um ano, somente agora viemos visitar a família e é meu primeiro contato pessoal com todos. Antes nos comunicávamos pela internet, mas nao é a mesma coisa.
No primeiro dia, minha sogra me deu mil rúpias como boas-vindas. É a tradicao. Ontem, o irmao do Majeed veio visitá-lo e trouxe um envelope decorado com mais cinco mil rúpias. To cheia da gaita! rsrs
No sábado, a mae dele me deu um caixa de jóias com um colar, brincos e um anel de ouro 22, presente que o pai do Majeed comprou há vinte anos, para o dia que ele se casasse. Ela guardou durante todos esses anos e finalmente deu o presente aa nora. Lindos, mas pesados, entao só estou usando o anel.
Karachi é bem quente, parece Cuiabá, mas com ventilador e ar a gente nem sente. A noite é sempre fresquinho.
Estou usando roupas paquistanesas que sao super ultra confortáveis. Calca folgada e túnica, igual da novela!!! rsrs Já ganhei cinco conjuntos!! Ahh, e super coloridas também. Como eu adoro cor, estou na passarela certa!!! rsrs Adoraria poder usar esse tipo de roupas no Brasil, quando é calor, mas acho que o povo ia rir da minha cara. É tao bom nao se preocupar se voce está gorda ou magra, se a roupa está apertada ou foglada, se isso ou aquilo. Liberdade é a palavra de ordem.
Entao, escrevo mais outro dia. Agora vou jantar. Pra mim, comida sem pimenta. Ahh esqueci de dizer que na casa da minha sogra tem quatro secretárias do lar e a gente, eu e as meninas, pensamos e já está na mao. To quase cansada de nao fazer nada. rsrs

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Tudo pronto! Hora de zarpar!

Finalmente tudo está arrumado para o grande viagem. As malas, as coisas da casa, as passagens, os vistos. Tudo pronto!
Deixamos Mimi Rogers com a minha amiga querida, Fátima Sidiqui, que tem duas gatinhas. Elas ainda estao se estranhando mas nao estao brigando, o que já é um bom comeco. Daqui a pouco viram amigas e tudo fica bem. Fátima me disse ontem que Mimi Rogers está chamando por nós. Chora, conversa bastante querendo sair. Mas gatos sabem o caminho de casa por mais longe que seja, entao ela só vai deixar Mimi ir pra fora depois de um mes na casa. Tadinha! Mas é por uma boa causa!
Nossas coisas, ou que sobrou delas, foram parar no "storage room" da minha amiga Vanessa Huertas. Algumas coisas, como eletronicos com nosso amigo, Nasir Khan e teremos a carona do nosso amigo, Asseem, para o transporte até o aeroporto. Muito, muito bom ter amigos!!! 
Só guardamos o que era de mais valor ou estava em muito bom estado de conservacao e quase nada da cozinha. Muita coisinha! Acho que a única coisa que segurei foram minhas quinquilharias de fazer café! rsrs Quero uma cozinha nova, bem colorida, quando eu voltar. 
O visto do Majeed para o Brasil saiu em cima da data. Fomos buscá-lo hoje no comeco da tarde. Pelo menos saíremos de Londres com o visto. Seria muita coisa viajar oito horas pra pegar um visto na Embaixada do Brasil em Islamabad. O meu visto para o Paquistao saiu no mesmo dia. Para Dubai nao preciso de visto e Majeed precisa aplicar com 50 dias de antecendencia, entao vai ser lá de Karachi.
ROTEIRO - Saíremos daqui amanha, as duas da tarde, faremos escala em Dubai, e temos chegada prevista para as 4h30 da manha em Karachi. Como é época de monsoon (a época das águas do Mato Grosso), está chovendo muito por lá. 
Estou esperando uma Nova Deli melhorada. Karachi é a sexta maior cidade do mundo. O transito é mais organizado que na India, mas depois eu conto se é mesmo. rsrs O sul da Ásia sempre me fascinou. Os mundos antigos sempre me fascinaram, pra dizer a verdade. Entao acho que vou aproveitar muito a minha estada no Paquistao. 
Depois vamos para Dubai. Tenho um cunhado morando lá, entao vai ser ótimo, muito melhor que ficar em hotel e fazer passeios turísticos e só. Vamos ficar num apartamento, alugado pra gente, entao estamos esperando duas amigas: uma do Rio e outra da Itália. Elas ainda nao se decidiram, mas acho que vao!!! rsrs
Em dezembro, finalmente vamos para o Brasil. Majeed está super curioso com tudo. Ele se gaba que sabe muito sobre a minha cidade, Cuiabá, mas ainda nao fala Portugues. Diz que vai aprender rapidinho porque todo mundo vai falar com ele. Já estou até vendo a coitada da Marcia sem tempo pra nada, só traduzindo as conversas. 
Entao vou tentar escrever aqui minhas impressoes e experiencias sobre a viagem. Mesmo público, vai servir como um diário e para a minha família ter mais informacoes sobre mim. Porque mesmo no MSN ou telefone nao dá pra contar tudo né! Entao...
Hasta la vista, babes!!!!

domingo, 4 de setembro de 2011

Meu novo sonho de consumo

A maneira como eu preparo o café mudou desde minha última viagem aa Itália. Fiquei hospedada na casa de uma amiga querida, a italiana mais brasileira que eu conheco, e aprendi o truque. Ela nao lava a cafeteira com  detergente líquido. Simplesmente passa água pra tirar o pó porque o óleo liberado pelo café ajuda a preservar o sabor. Entao fica tudo lá. A dica serve para coador de pano também. Só tira o excesso do pó com água e pronto!
Eu tenho uma panafernália para fazer café (apesar de agora só tomar pela manha por causa do meu tratamento de chiropatia), Mocha, máquina de café expresso, a jarrinha francesa para café, enfim...
Meu novo sonho de consumo é essa Mocha elétrica. Voce programa e ela faz o café na hora que voce quiser. Nao é o máximo! Quero umaaaaa!!!

sábado, 3 de setembro de 2011

Artes do meu casamento

Hoje eu fui selecionar algumas fotos do meu casamento para imprimir e encontrei essas fotos de coisinhas que eu fiz para o grande dia. 
Meu casamento, no cartório, foi simples mas usei vestido de noiva porque aqui em Londres, a maioria das pessoas só casa mesmo no cartório e isso nao é feio ou esquisito. 
Entao, como foi numa sexta-feira, nao tinhámos muitos convidados, decidimos fazer um pic-nic. Foi lindo! Enquanto os recém-casados tiravam as fotos para a posteridade, os amigos armaram a barraca e o acampamento. Literalmente. 
A coisa mais cara no casamento todo foi a fotógrafa e o álbum: 500 libras. E antes nao tivesse contratado a tal fotógrafa (brasileira), pq além de caro, estragou várias fotos com o photoshop. Nao gosto desse recurso no rosto. Prefiro os sinais de expressao como eles sao! 
Enfim!!!
Fiz as lembrancinhas, latinhas de drops de frutas, com a caricatura dos noivos (encontrei o caricaturista na internet, ele fez e me mandou por e-mail, do Brasil), que foi nosso convite de casamento. Imprimi e recortei em papel de foto e ficou um charme. 
Forrei uma cesta de pic-nic, com feltro vermelho e voila! Estava pronto!


Daí fiz a almofadinha com feltro branco e a rosa com fitas de cetim. Nao quis um buque, preferi só uma rosa vermelha, com o cabo bem comprido.
 E fiz os noivinhos e a Mimi Rogers, claro! Os meus primeiros noivinhos.
Quem disse que nao dá pra casar gastando pouco??? rrsrs

Se o casal for simples como Majeed e eu, dá sim!!! Nos divertimos muito, no parque atrás do cartório. Era início de primavera (dia 30 de abril) e a explosao de cores das árvores emprestou um charme ao dia!!!

A varanda dos meus sonhos